A METODOLOGIA INVESTIGATIVA POLICIAL CONTEMPORÂNEA EM DISCUSSÃO

Um estudo de caso na Polícia Civil do Estado de Goiás

Palavras-chave: Investigação Policial, Análise Criminal Tática, Análise de Vínculo, Análise criminal híbrida

Resumo

Diante do universo de informações e do desafio em determinar quais são relevantes, é necessário refletir sobre a atuação policial na atualidade, principalmente na investigação de crimes complexos. Portanto, o objetivo do artigo é discutir a metodologia da investigação policial, alicerçada em fontes de conhecimento de Inteligência Policial (Análise de Vínculo) e da Análise Criminal (especialmente a Tática). Adotou-se uma abordagem indutiva, por meio da revisão crítica da literatura e da metodologia Theory Building from cases. Para tanto, analisou-se um complexo caso de crime contra a ordem tributária investigado pela Polícia Civil goiana, destacando a metodologia da Análise Criminal adotada e o papel do analista para a prestação de um serviço público de qualidade. Concluiu-se que a procedimentalização da atividade do analista criminal contribuiria diretamente para a maior eficiência do trabalho investigativo policial.

Biografia do Autor

Yasmine Caroline Viana Soares, Escola Superior da Polícia Civil do Estado de Goiás

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual de Goiás (2004) e graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2012). Atualmente é agente de polícia - Secretaria da Segurança Pública de Goiás. Co-autora do livro Manual do Relatório de Investigação Criminal. Atuando principalmente nos seguintes temas: polícia civil do estado de goiás, carreira profissional, cargo, função, investigação criminal e ética.

CV: http://lattes.cnpq.br/3207566467078010 

Thiago Henrique Costa Silva, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Doutorando em Agronegócio pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Mestre em Direito Agrário (UFG) e Graduado em Direito (UFG). Tem especializações em Direito Público, pelo Centro Universitário UniGoiás, em Direito Penal e Processo Penal e em Perícia Contábil pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Perito Criminal na Superintendência de Polícia Científica do Estado de Goiás. Professor e pesquisador do Centro Universitário Alves Faria (UNIALFA) e da Universidade Estadual de Goiás (UEG), sendo titular da cadeira de Direito Constitucional. Coordena os Grupos de Estudo e Pesquisa em Educação e Meio Ambiente (GEMA/UEG), em Natureza, Estado, Sociedade e Direito (GENES/UEG) e em Políticas Públicas e Agrariedades (GEPPA/UNIALFA). Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Constitucional e Agrário, atuando principalmente nos seguintes temas: (des)envolvimento rural, políticas públicas, territorialidades, neoliberalismo, segurança e soberania hídrica e alimentar.

CV: http://lattes.cnpq.br/0761167066175470

Referências

ALVES, Charles. F et al. Cognição Organizacional: Um Estudo da Tecnologia da Informação Aplicada à Análise de Vínculos na Atividade Policial. Anais... KM Brasil. 2005.

AMBROS, Christiano. LODETTI, Daniel. Vieses cognitivos na atividade de inteligência: conceitos, categorias e métodos de mitigação. Revista Brasileira de Inteligência. n. 14, p. 9-34. Brasília: ABIN, 2019.

AZEVEDO, Alcebíades Barbosa. Análise criminal e atividade de inteligência nas delegacias de Polícia Civil. 2016. Especialização em Inteligência Policial e Análise Criminal. Universidade Estadual da Paraíba: Centro de Ciências Jurídicas, 2016.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERNARDES, Paulo Ventura Silva. Análise criminal como instrumento de produção de conhecimento. 2015. Especialização em Análise Criminal com ênfase em Docência no Ensino Superior. Goiânia: Instituto de Pós Graduação – IPOG, 2015.

DANTAS, George Felipe de Lima; SOUZA, Nelson Gonçalves de. As bases introdutórias da análise criminal na Inteligência policial. Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM), 2004.

DNISP. Brasil, Ministério da Justiça. Secretaria Nacional de Segurança Púbica. Doutrina Nacional de Inteligência de Segurança Pública. 3ª ed. Brasília: DNISP, 2009.

EISENHARDT, Kathleen. M.; GRAEBNER, Melissa. E. Theory Building From Cases: Opportunities and Challenges. Academy of Management Journal, 50, p. 25–32, 2007.

FERRO JÚNIOR, Celso Moreira. Inteligência organizacional, análise de vínculos e a investigação criminal: um estudo de caso na polícia civil do Distrito Federal. 2007. Dissertação Mestrado (Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da informação). Brasília: Universidade Católica de Brasília, 2007.

FERRO JÚNIOR, Celso Moreira; DANTAS, George Felipe de Lima. A descoberta e a análise de vínculos na complexidade da investigação criminal moderna. Revista Jus Navigandi, 2007. Disponível em: https://egov.ufsc.br/portal/conteudo/descoberta-e-an%C3%A1lise-de-v%C3%ADnculos-na-complexidade-da-investiga%C3%A7%C3%A3o-criminal-moderna. Acesso em: 23 maio 2021.

FERRO JÚNIOR, Celso Moreira; MORESI, Eduardo Amadeu Dutra. Inteligência Organizacional: identificação das bases doutrinárias para investigação criminal. DataGramaZero. Revista de Ciência da Informação. Artigo 02, v. 9, n. 1, 2008.

FERRO, Alexandre Lima. Inteligência de segurança pública e análise criminal. Revista Brasileira de Inteligência. v. 2, n. 2. Brasília: ABIN, 2006.

FRANCISCO, Gustavo Garcia. SOARES, Alessandro Souza. O papel da análise criminal como ferramenta de gestão no enfrentamento à criminalidade no Estado de Mato Grosso. Revista Tiradentes – Revista Científica Multidisciplinar de Segurança Pública. v.1 n.1. Mato Grosso: ACADEPL/PJC, 2018.

GARDNER, Brett et al. What do forensics analysts consider relevant to their decision making. Science & Justice 59. p. 516-523, 2019.

GOIÁS. Polícia Civil do Estado de Goiás. Inquérito Policial nº [informação sigilosa]. Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT). Goiânia: 2017.

GOTTSCHALK, Peter et al. Information managemet for investigation and prevention of white collar crime. International journal of information management, 31, p. 226-233. 2011.

JANET, M. Evans; MARK, Rhys Kebbell. The effective analyst: a study of what makes and effective crime and intelligence analyst. v 22, 204-219. Policing and Society, 2012.

MAGALHÃES, Luís Carlos. Análise Criminal e mapeamento da criminalidade – GIS. Âmbito Jurídico [online] 28 fev. 2008. Disponível em: https://ambitojuridico.com.br/cadernos/direito-penal/analise-criminal-e-mapeamento-da-criminalidade-gis/ . Acesso em: 15 fev 2021.

PLOBETE, Patrício Tudela. Análisis criminal, proactividad y desarrolllo de estratégias policiales basadas em la evidencia. Revista Criminalidad, 57 (1): 137-152, 2015.

SILVA, Bráulio Figueiredo Alves da; MARINHO, Frederico Couto. Aplicação de tecnologias do conhecimento e da informação na prevenção e redução do crime: a análise criminal no contexto latino-americano. Revista do PPFCS – UFRB – Novos Olhares Sociais, v. 1, n. 2, 2018.

SILVA, João Apolinário da. Análise Criminal: Teoria e prática. Salvador: Artpoesia, 2015.

SOARES, Yasmine Caroline Viana. A Lava jato elevou o nível das investigações no Brasil. Polícia Civil de Goiás. [Artigos]. 15 jan. 2018. Disponível em: https://espc.policiacivil.go.gov.br/leia-mais/a-lava-jato-elevou-o-nivel-das-investigacoes-no-brasil.shtml. Acesso em: 20 abr. 2021.

XU, Jennifer J., CHEN, Hsinchun. Fighting organized crimes: using shortest-path algorithms to identify associations in criminal networks. Decision Support Systems, Volume 38, Issue 3, 2004.
Publicado
2021-12-22
Como Citar
Soares, Y. C., & Silva, T. H. (2021). A METODOLOGIA INVESTIGATIVA POLICIAL CONTEMPORÂNEA EM DISCUSSÃO. Revista Do Instituto Brasileiro De Segurança Pública (RIBSP) - ISSN 2595-2153, 4(10), 94-112. https://doi.org/https://doi.org/10.36776/ribsp.v4i10.152