A GESTÃO DA CULTURA ORGANIZACIONAL DO GRUPAMENTO DE INTERVENÇÃO RÁPIDA OSTENSIVA (GIRO)

  • Enio Gonçalves Cruvinel Academia da Policia Militar de Goias
  • Leon Denis da Costa Polícia Militar de Goiás
Palavras-chave: Cultura Organizacional. GIRO. Gestão da Cultura Organizacional.

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar a cultura organizacional do GIRO e os impactos desta sobre a tropa e na gestão organizacional do batalhão. O estudo adotou uma abordagem mista, qualitativa e quantitativa, onde em um primeiro momento realizou-se entrevista junto aos oficiais e as praças comandantes de equipe a qual além de externar os sentimentos dos entrevistados serviram para moldar um questionário o qual foi aplicado a toda tropa da unidade. Os resultados apontaram para a importância da cultura organizacional no tocante a moldagem e convivência dos policiais militares da unidade assim como elucidou os vínculos entre os integrantes da Unidade e ao valor que o cumprimento das missões representa para tropa. Como limitações do estudo destacou-se a impossibilidade de contemplar em um único estudo todas as características da cultura organizacional da unidade, em virtude da extensão deste artigo, sendo necessário um recorte na análise com foco aos pontos de maior interesse a gestão de pessoas. De conclusão destacou-se a influência da cultura organizacional da unidade no seio da tropa o que auxilia na gestão do efetivo e melhoria de resultados para unidade e consequentemente para Polícia Militar do Estado de Goiás e toda a sociedade goiana.

Biografia do Autor

Enio Gonçalves Cruvinel, Academia da Policia Militar de Goias

Aspirante da Polícia Militar de Goiás, MBA em Gestão de Polícia Ostensiva, Especialista em Análise Criminal, Gestor em Segurança Pública, Graduado em Administração e Direito.

Leon Denis da Costa, Polícia Militar de Goiás

Major da Polícia Militar de Goiás, Sub Diretor no Estado de Goiás do Instituto Brasileiro de Segurança Pública. Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de Goiás. Especialista em Gerenciamento de Segurança Pública, em Docência do Ensino Superior e em Polícia Judiciária Militar. Graduado em Letras(licenciatura plena Português/ inglês)pela Universidade Estadual de Goiás.

Referências

BAPTISTA, Renato Dias. Comunicação e cultura organizacional em contextos de transição tecnológica. 2007. 106 f. Tese (Doutorado) - Curso de Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), São Paulo, 2007. Disponível em: . Acesso em: 25/07/2018.

BARCELLOS, José Alfredo Pacheco de. As condições e a organização de trabalho dos policiais militares que executam o policiamento ostensivo: um estudo de caso na brigada militar de Porto Alegre/RS. 1999. Disponível em: . Acesso em 15/05/2018.

BAYLEY, David H. Padrões de Policiamento: Uma Analise Internacional Comparativa. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2002. Tradução de Renê Alexandre Belmonte.

BITTNER, Egon. Florence Nightingale procurando Willie Sutton: uma teoria da polícia. In: Aspectos do trabalho policial. 1 ed. São Paulo, SP: EDUSP, 2003.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa: tradução Joice Elias Costa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREITAS, Maria Ester de. Cultura organizacional: formação, tipologias, e impacto. São Paulo: Makron Books, 1991.

GOIÁS, Polícia Militar do. Procedimento Operacional Padrão 1300. Procedimento Operacional Padrão do Grupamento de Intervenção Rápida Ostensiva – GIRO. 1ª Edição, Goiânia, GO, 2017.

JAIME JUNIOR, Pedro. Um texto, múltiplas interpretações: antropologia hermenêutica e cultura organizacional. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, vol. 42, n. 4, out./nov./ dez. 2002. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/rae/v42n4/v42n4a08.pdf>. Acesso em: 08/10/2018.

REINER, Robert. A cultura policial in: REINER, Robert. A política da polícia. Tradução Jacy Cardia Ghirotti e Maria Cristina Pereira da Cunha Marques. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

SCHADECK, Marise; GRZYBOVSKI, Denize; MAZZATO, Betina Beltrame e Anelise Rebelato. Cultura Organizacional, Sistemas Simbólicos e Metáfora Organizacional: Um estudo exploratório a partir da concepção dos sete pecados capitais.2014. 201 f. Tese (Doutorado) - Curso de Admnistração, Iv Colóquio Internacional de Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração, Florianópolis, 2014. Disponível em: . Acesso em: 20/07/2018.

SEGALEN, Martine. Ritos e rituais contemporâneos. 1. Ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002.

SROUR, Robert Henry. Poder, Cultura e Ética nas Organizações. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

TAMAYO, Alvaro; MENDES, Ana Magnólia; PAZ, Maria das Graças Torres da. Inventário de valores organizacionais.2000. 161 f. Tese (Doutorado) - Curso de Psicologia, Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2000. Disponível em: . Acesso em: 24/07/2018.

TURNER, Victor. O Processo Ritual: estrutura e antiestrutura. Petrópolis: Vozes, 1974.
Publicado
2019-12-30
Como Citar
Cruvinel, E., & Costa, L. (2019). A GESTÃO DA CULTURA ORGANIZACIONAL DO GRUPAMENTO DE INTERVENÇÃO RÁPIDA OSTENSIVA (GIRO). Revista Do Instituto Brasileiro De Segurança Pública (RIBSP), 2(2), 35-49. Recuperado de http://ibsp.org.br/ibsp/revista/index.php/RIBSP/article/view/62