O CONTROLE EXTERNO DA POLÍCIA MILITAR

estudo a partir da análise do Rio Grande do Norte

  • Gabriel Bulhões Nóbrega Dias FGV//SP
Palavras-chave: Controle da Polícia, Democratização da Polícia, Desmilitarização da polícia, Direito Militar, Processo Penal

Resumo

O presente estudo visa fazer uma análise acerca do controle da atividade policial-militar, no Rio Grande do Norte. Nesse sentido, realizou-se um estudo empírico através da aplicação de um questionário ao processos que tramitam na Auditoria Militar desse Estado. 

Explicitando, as perguntas que foram feitas compreendem todo o processo (sem se limitar aqui à questão jurisdicional) do fenômeno estudado, passando por perguntas que abarcam: i) questões cronológicas; ii) questões de juridicidade (como a constatação da mudança na capitulação nas várias instâncias do controle da atividade policial); iii) circunstâncias do fato em si (como a presença de testemunhas – incluindo aqui os próprios policiais - e sua posterior oitiva;  ou a configuração do quadro vitimológico); iv) comportamento das diversas instituições envolvidas ao longo do processo (as instâncias administrativas de controle interno, o parquet, o Judiciário); e v) constatação do perfil dos acusados (quais suas patentes, e em que Batalhão ou Destacamento servem/serviam).

Dessa forma, foi possível realizar um mapeamento das várias instâncias do arranjo institucional que envolve o controle da Polícia Militar, tanto no plano interno quanto no externo.

Portanto, foram analisados os vários momentos que envolvem o controle da atividade policial, desde a apuração pela Corregedoria ou pelos próprios Batalhões de Polícia Militar (controle interno), até a atuação do Ministério Público Militar (controle externo) e à judicialização da demanda, com a proposição da ação penal na Justiça Militar, passando ainda em alguns casos pela Ouvidoria de polícia (que também integra o controle externo da polícia).

Nesse diapasão, foram identificadas diversas nuances institucionais, burocráticas e não-burocráticas, que são decorrentes do atual arranjo institucional, e que proporcionaram a criação de diversos filtros de seletividade que atuam durante todo o processo (desde a ocorrência do crime militar até o cumprimento da pena imposta pela Auditoria Militar).

Concomitantemente, foi analisada a legislação e as normas extralegais que regulamentam as competências, de investigar e de julgar os crimes militares; bem como a literatura especializada, tanto outras pesquisas empíricas, quanto textos teóricos abordando a questão de várias perspectivas e outros autores que trabalham com esses fenômenos em alto grau de abstração.

Pelos caminhos que foram trilhados, portanto, almejou-se identificar os motivos que dificultam o processo de responsabilização das condutas criminosas praticadas por Policiais Militares.

Referências

ARAÚJO, Cláudio Lélis. A Corregedoria da Polícia Militar de Minas Gerais: Panorama Histórico e Prospectivo. in A Ouvidoria agora vai falar. Belo Horizonte: Edit. Del Rey, 2004.

BARRETO JÚNIOR, Jésus Trindade. Nota Sobre o Trabalho Policial no Brasil. in A Ouvidoria agora vai falar. Belo Horizonte: Edit. Del Rey, 2004.

BALESTRERI, Ricardo Brisolla. Direitos Humanos Coisa de Polícia. 3ª Ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Edições CAPEC, 2003.

BATISTA, Nilo. Introdução Crítica ao Direito Penal Brasileiro. Rio de Janeiro: Edit. Revan, 1990.

BATTIBUGLI, Thaís. A Difícil Adaptação da Polícia Paulista ao Estado de Direito (Pós-1946 e Pós- 1985). Revista Dilemas, Rio de Janeiro, Vol. 2, n.º 3, Jan.-Mar./2009.

BATITUCCI, Eduardo Cerqueira. ELEMENTOS PARA UMA SOCIOLOGIA DA POLÍCIA CIVIL EM MINAS GERAIS. RBCCrim, set.-out., 2008 ano 16, n.º 74.

BICUDO, Hélio. VIOLÊNCIA, O Brasil Cruel e Sem Maquiagem. São Paulo: Moderna, 1993.

BIERRENBACH, Flávio Flores da Cunha. A NOVA COMPETÊNCIA CRIMINAL DA JUSTIÇA MILITAR. RBCCrim, set.-out., 2008 ano 16, n.º 74.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Edit. Bertrand Brasil, 1989.

CECEÑA, Ana Esther. LOS PARADIGMAS DE LA MILITARIZACIÓN EM AMÉRICA LATINA. Em Pauta. n.º 19. Rio de Janeiro: 2007.

CORRÊA, Luiz Fernando. Da Polícia de Estado à Polícia-Cidadã. in A Ouvidoria agora vai falar. Belo Horizonte: Edit. Del Rey, 2004.

DIAS, Jorge de Figueiredo; ANDRADE, Manual da Costa. Criminologia. O Homem Deliquente e a Sociedade Criminógena. 2ª Reimpr. Coimbra: Edit. Coimbra, 1997.

DOS SANTOS, José Vicente Tavares. VIOLÊNCIAS E CONFLITUALIDADES. Série Sociologia das Conflitualidades, v. 3. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2009.

DOS SANTOS, Juarez Cirino. A Criminologia Radical. Rio de Janeiro: Edit. Forense, 1981.

FILOCRE, Laurentino de Andrade. REFLEXÕES SOBRE A JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL: origens da justiça militar. Revista DIREITO MILITAR. Edição n.º 100. Florianópolis. Mar.-Abr. 2013, p. 24/26.

GIDDENS, Anthony. PARA ALÉM DA ESQUERDA E DA DIREITA. São Paulo: Editora da UNESP, 1996.

JESUS, Maria Gorete Marques. O Crime de Tortura e a Justiça Criminal. Um Estudo dos Processos de Tortura da Cidade de São Paulo. 1ª Ed. São Paulo: IBCCrim, 2010.

LEMGRUBER, Julita; MUSUMECI, Leonarda; CANO, Ignacio. Quem Vigia os Vigias? Um Estudo Sobre Controle Externo da Polícia no Brasil. Rio de Janeiro: Edit. Record, 2003.

LIMA, Renato Sérgio de. Entre Palavras e Número. Violência, Democracia e Segurança Pública no Brasil. São Paulo: Edit. Alameda, 2011.

MACHADO, Bruno Amaral. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE O CONTROLE EXTERNO DA ATIVIDADE POLICIAL: CULTURA ORGANIZACIONAL E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS. São Paulo: RBCCrim, ano 19, n.º 88, jan.-fev. / 2011.

MACHADO, Maíra Rocha. CONTRA A DEPARTAMENTALIZAÇÃO DO SABER JURÍDICO: A CONTRIBUIÇÃO DOS ESTUDOS DE CASO PARA O CAMPO DIREITO E DESENVOLVIMENTO. São Paulo: GV, 2013.

MARIMON, Paulo Bueno. POLICIANDO A POLÍCIA: A CORREGEDORIA-GERAL DE POLÍCIA CIVIL DO RIO GRANDE DO SUL (1999-2004). Monografias Jurídicas, v. 49. São Paulo: IBCCrim, 2009.

MOUHANNA, Christian. LES RELATIONS POLICE-PARQUET EM FRANCE: UM PARTENARIAT MIS EM CAUSE. Droit et Societé. N.º 58. P. 502-522. Paris, 2004.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. DIAGNÓSTICO MINISTÉRIO PÚBLICO DOS ESTADOS. Brasília: Secretaria de Reforma do Judiciário, 2006.

MUNIZ, Jacqueline. MUITA POLITICAGEM, POUCA POLÍTICA: OS PROBLEMAS DA POLÍCIA. Estudos Avançados, v. 21, 2007.

NETO, Silvio Couto. O Movimento "Lei e Ordem" e a Iniquidade do Controle Social pelo Sistema Penal no Brasil. Rio de Janeiro: Edit. Lumen Juris, 2009.

NEVES, Getúlio Marcos Pereira. CONTROLE SOCIAL E O CONTROLE DO SERVIDOR POLICIAL. Edição n.º 66. Jul.-Ago. 2007, p. 23/27.

PACHECO, Alcides Marques Porto. Notas Sobre o Controle Externo na Atividade Policial: o porquê e por quem, ou, a análise da proposta de sua retirada das mãos do Ministério Público. Revista Brasileira de Ciências Criminais, Vol. 91, Jul.-Ago./2011.

PEREIRA, Carlos Frederico de Oliveira. A PERDA DO POSTO E DA PATENTE DOS OFICIAIS E PERDA DA GRADUAÇÃO DAS PRAÇAS DAS POLÍCIAS MILITARES. Revista DIREITO MILITAR. Edição n.º 43. Florianópolis. Set.-Out. 2003, p. 6/10.

POLÍCIA MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE. ESTATUTO DOS POLICIAIS MILITARES DO RIO GRANDE DO NORTE. Lei n.º 4.630, de 16 de dezembro de 1976. Rio Grande do Norte.

________________________. REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS MILITARES ESTADUAIS. Decreto n.º 8.336. Natal: Comando Geral, 1982.

_______________________. Portaria n.º 182/2012, Natal: Comando Geral, 2012.

PORTO, Teresa Manso. La Policía en el Estado de Derecho Latinoamericano. Boletim do IBCCrim – Instituto Brasileiro de Ciências Criminais. São Paulo, ano 9, n.º 106, set.-2001.

SARAIVA, Alexandre José de Barros Leal. INQUÉRITO POLICIAL E AUTO DE PRISÃO EM FLAGRANTE NOS CRIMES MILITARES. São Paulo: Edit. Atlas S.A., 1999.

SIQUEIRA, Juliano Homem de. SEGURANÇA PÚBLICA, POLÍTICA E POLÍCIA. Natal: O Jornal de Hoje, 21 dez. 1999.

SILVA, Antônio Marcos de Sousa. ESTADO, MONOPÓLIO DA VIOLÊNCIA E POLICIAMENTO PRIVADO: COM QUEM FICA O USO LEGÍTIMO DA FORÇA FÍSICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA? Ponta Grossa: Revista Emancipação. V. 8, n.º 2, 2008.

WIERVORKA, Michel. O NOVO PARADIGMA DA VIOLÊNCIA. São Paulo: Tempo Social. V. 9, n.º 1, maio, 1997.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl. A palavra dos mortos. Conferências de Criminologia Cautelar. Trad. Sérgio Lamarão. São Paulo: Edit. Saraiva, 2012.

____________________. Em Busca das Penas Perdidas. A Perda da Legitimidade do Sistema Penal. Trad. Vânia Romano Pedrosa. 5ª ed. Rio de Janeiro, Edit. Revan, 2001.
Publicado
2018-10-06
Como Citar
Dias, G. (2018). O CONTROLE EXTERNO DA POLÍCIA MILITAR. Revista Do Instituto Brasileiro De Segurança Pública (RIBSP), 1(2), 94-111. Recuperado de http://ibsp.org.br/ibsp/revista/index.php/RIBSP/article/view/16