PROTOCOLO POLICIAL

teoria, sistematização e importância para sobrevivência na atividade profissional

Palavras-chave: Protocolos institucionais, Segurança Pública, Normalização, Profissionalização, Sobrevivência policial

Resumo

RESUMO: O presente artigo versa acerca da urgência/necessidade da institucionalização de protocolos técnicos operacionais nas corporações policiais brasileiras. Essa demanda decorre inicialmente pela carência de normalização de procedimentos técnicos específicos de segurança pública, bem como pela constatação do alto índice de vitimização em intervenções policiais, no Brasil, seja de suspeitos ou dos próprios policiais, em especial, nas polícias militares. Produzido a partir de pesquisa bibliográfica, teve como referente empírico a pesquisa realizada na Polícia Militar do Rio Grande do Norte, onde a ausência desses protocolos denuncia que apesar dos avanços na formação técnica, essas corporações, em geral, ainda têm um longo percurso no processo de profissionalização, sobretudo a partir da formalização de procedimentos técnicos operacionais originados de saberes profissionais alicerçados em conhecimentos técnicos e em pesquisa científica.

Biografia do Autor

João Batista da Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Curso de Formação de Oficiais pela Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte (PMRN - 1999), especialista em Polícia Comunitária pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), graduação em Ciências Sociais (UFRN - 2005), mestrado em Ciências Sociais (UFRN - 2009) e doutorado em Educação (UFRN - 2017). Atualmente é Major da PMRN, professor do Centro de Formação e Aperfeiçoamento da Polícia Militar do RN, professor da graduação da Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte e professor de pós-graduação da Faculdade de Ciências Cultura e Extensão do Rio Grande do Norte e da Faculdade Natalense de Ensino e Cultura (FANEC). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: segurança pública, políticas públicas, polícia militar, formação profissional, violência, polícia comunitária, entre outros. É membro fundador do Instituto Brasileiro de Segurança Pública (IBSP) e integrante do Conselho Editorial da Revista do Instituto Brasileiro de Segurança Pública (RBISP).

Referências

BARRETO, Gustavo Henrique Lins. M 03 PMRN: Manual Técnico - Operações de Choque. Natal: PMRN, 2013. 106 p.

______. Manual técnico: munições de menor potencial ofensivo. Natal: PMRN, 2018 .

BATISTA, Januário Antônio Edwiges. Gerenciamento de crise: um modelo de gestão reativa aplicada à ocorrência com refém localizado em Cuiabá-MT. Cuiabá: Revista Homens do Mato. Vol 8 - Jan/Jun 2012, p. 122-147. Disponível em: http://revistacientifica.pm.mt.gov.br/ojs-2.4.3/index.php/semanal/article/view/184/pdf_82. Acesso em: 10 Dez 2014.

BRASIL. Mistério da Justiça/Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República. Portaria interministerial nº 4.226, de 31 de dezembro de 2010. Estabelece Diretrizes sobre o Uso da Força pelos Agentes de Segurança Pública. Brasília: MJ/SDH, 2010.

______. Secretaria Nacional de Segurança Pública/Senasp Ministério da Justiça Secretaria Nacional de Segurança Pública/Senasp. Matriz curricular nacional para a formação em segurança pública. Departamento de Pesquisa, Análise da Informação e Desenvolvimento de Pessoal em Segurança Pública. Coordenação-geral de ensino. Brasília: SENASP, 2014.

BOURDIEU, Pierre. Uma sociologia reflexiva. In: o poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertran do Brasil, 1989.

COTTA, Francis A. Protocolo de intervenção policial especializada: uma experiência bem-sucedida da polícia militar de Minas Gerais na gestão de eventos de defesa social de alto risco - Revista Brasileira de Segurança Pública, 2009. Disponível em: http://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/51. Acesso em: 05 jun 2020.

DA SILVA JÚNIOR, A. (2018). “Bandido bom é bandido morto”? Com a palavra os especialistas em segurança pública. Revista do Instituto Brasileiro de Segurança Pública (RIBSP), 1(3), 47-49. Recuperado de http://ibsp.org.br/ibsp/revista/index.php/RIBSP/article/view/37.

DORIA JÚNIOR, Irio; FAHNING, José Roberto da. Curso de Gerenciamento de Crises. Ministério da Justiça/Secretaria Nacional de Segurança Pública. Brasília: SENASP, 2008. Disponível em: https://cidadaossp.files.wordpress.com/2009/06/gerenciamentocrises_completo.pdf. Acesso em: 10 dez 2014.

FERREIRA, R., CABELHO, V., & RONDON FILHO, E. (2020). Vitimização policial. Revista do Instituto Brasileiro de Segurança Pública (RIBSP), 3(1), 9-52. https://doi.org/https://doi.org/10.36776/ribsp.v3i1.75.

LIMA, João Cavalim de. Atividade policial e confronto armado. Curitiba: Juruá, 2007.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Atlas da Violência 2019. IPEA; FBSP. Rio de Janeiro, junho de 2019. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/download/19/atlas-da-violencia-2019. Acesso em: 20 jun 2020

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA (FBSP). Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Edição 2019. Disponível em: http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/09/Anuario-2019-FINAL-v3.pdf. Acesso em: 19 jun 2020.

OLIVEIRA, Onivan Elias de. Mesmo com o risco da própria vida: a promoção post mortem dos policiais militares da Paraíba. 15 páginas. 2020 (No prelo).


ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Código de conduta para os funcionários responsáveis pela aplicação da lei. 106.ª sessão plenária, 17 de Dezembro de 1979. Disponível em: . Acesso em: 20 jan 2016.

PERRENOUD, Philippe. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

PINC, Tânia. Desempenho policial: treinamento importa? Revista Brasileira de Segurança Pública. Ano 3 Edição 4 Fev/Mar 2009. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/issue/view/5. Acesso em: 17 jun 2020.

______. Treinamento policial: um meio de difusão de políticas públicas que incidem na conduta individual do policial de rua. 2011. 246f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Ciência Política. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8131/tde-04102011-085036/publico/2011_TaniaMariaPinc.pdf. Acesso em: 20 jun 2020.

POLÍCIA MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE. Procedimentos gerais a serem adotados em ocorrências típicas de Polícia Militar. Natal: PMRN, Aditamento ao Boletim Geral nº 23, 2014.

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Procedimento operacional padrão para abordagem. São Paulo: PMESP, 2002.

POLÍCIA MILITAR DE MATO GROSSO DO SUL. Manual de procedimentos operacionais padrão: Módulo II – abordagens policiais. (Org.) Rosalino Louveira; Ezequiel Martins dos Santos; Edson Furtado de Oliveira. Campo Grande: PMMS, 2013.

POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS. Primeira intervenção em incidentes críticos: regula a atuação do policial militar primeiro interventor em ocorrências de incidentes críticos. Belo Horizonte: PMMG, 2017.

PONCIONI, Paula.Políticas públicas para a educação Policial no Brasil: Propostas e realizações. Estud. Sociol., Araraquara, v.17, n.33, p.315-331, 2012.
RAMALHO, Betania Leite; NÚÑEZ, Isauro Beltrán; GAUTHIER, Clermont. Formar o professor, profissionalizar o ensino: perspectivas e desafios. Porto Alegre: 2ª ed. Sulinas, 2004.

ROVER, C. de. Para servir e proteger: direitos humanos e direito internacional humanitário para forças policiais e de segurança - manual para instrutores. (Trad.) Sílvia Backes e Ernani S. Pilla. Buenos Aires: Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Genebra 2005 - 4ª Edição.

SACRITÁN. José Gimeno; et al. Educar por competências: o que há de novo? (Trad.) Carlos Henrique Lucas Lima. Porto Alegra: Artemed, 2011.

SHÖN, Donald. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino aprendizagem. (Trad.) Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artimed, 2000.

SILVA, João Batista da. Formação policial-militar no século XXI: diagnósticos e perspectivas. Natal: Manimbu, 2017a. (Coleção Cultura Potiguar).

SILVA, João Batista da. Profissionalização policial-militar: a tomada de decisão como conhecimento e saber profissional na PMRN. 2017. 294f. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017b. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24513. Acesso em: 05 jun 2020.

______ (2018). A produção do conhecimento em segurança pública. Revista Do Instituto Brasileiro De Segurança Pública (RIBSP), 1(1), 55-61. https://doi.org/https://doi.org/10.36776/ribsp.v1i1.5. Acesso em: 10 jun 2020.

______. (2019). Herói ou vilão? Vítimas ou algozes? Quem são os profissionais de segurança brasileiros? Revista Do Instituto Brasileiro De Segurança Pública (RIBSP), 1(3), 50-53. Recuperado de http://ibsp.org.br/ibsp/revista/index.php/RIBSP/article/view/39. Acesso: 13 jun 2020.

______; FONSECA. Vidas negras importam no Brasil? In.: Segurança pública, racismo e direitos humanos. Bel.o Horizonte: Bordôgrena, 2020. e-book (No prelo).
THOMÉ, Lemos Ricardo; SALIGNAC, Angelo Oliveira. O gerenciamento de crises em situações críticas. Curitiba: Gênesis, 2001.
Publicado
2020-08-20
Como Citar
Silva, J. (2020). PROTOCOLO POLICIAL. Revista Do Instituto Brasileiro De Segurança Pública (RIBSP) - ISSN 2595-2153, 3(7), 90-104. https://doi.org/https://doi.org/10.36776/ribsp.v3i7.105